Brasil possui mais de 5 GW de capacidade instalada de usinas solares com geração centralizada


Bahia, Piauí e Minas Gerais são os estados com mais empreendimentos dessa fonte.

Em mais uma demonstração de avanço das fontes renováveis de energia elétrica no Brasil, o país superou, na última quinta-feira (26/5), os 5 gigawatts (GW) de capacidade instalada em usinas solares fotovoltaicas com geração centralizada, ou seja, geradoras que receberam concessão do Governo Federal e que estão conectadas ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), vinculada ao Ministério de Minas e Energia, identificou a ultrapassagem da marca de 5 GW com a liberação para operação comercial de 152 unidades geradoras da Usina Fotovoltaica (UFV) Coremas VII, no município de Coremas (PB), totalizando 27 megawatts (MW).




Diferentemente daquelas de micro e minigeração distribuídas instaladas em residências e pequenos parques, as usinas solares centralizadas caracterizam-se como grandes parques de geração voltados à comercialização da energia no âmbito da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), seja no mercado regulado ou no mercado livre.

Entre os estados com maior capacidade instalada proveniente de usinas solares centralizadas, se destacam a Bahia, com 1,35 GW, o Piauí, com 1,16 GW, e Minas Gerais, com 730 MW.

Até 2017, as usinas solares fotovoltaicas não participavam da matriz elétrica do Brasil. Segundo a Aneel, a rápida ascensão observada nos últimos cinco anos deve se manter em ritmo acelerado. Neste momento, estão em construção empreendimentos com aproximadamente 4,7 GW de capacidade, com previsão de entrada em operação entre 2022 e 2023. Outras usinas solares outorgadas pela ANEEL e em vias de serem construídos possuem quase 51 GW de potência outorgada.

Micro e minigeração se aproximam dos 11 GW

Além dos 5 GW de geração solar centralizada, o Brasil conta com 10,74 GW de potência instalada em unidades de micro e minigeração distribuída. Aproximadamente 1,3 milhão de consumidores utilizam os créditos pela energia gerada por 1,01 milhão de unidades de micro e minigeração.

Publicado pelo Ministério de Minas e Energia




Compartilhe: