Brasil está na sexta posição no ranking internacional de energia eólica


Energia eólica é a segunda maior fonte de geração de energia do Brasil, atrás apenas da hidráulica.

O Brasil ocupa a sexta posição no ranking mundial de energia eólica onshore (em terra), com 21,5 gigawatts (GW) de capacidade instalada, de acordo com o Global Wind Report 2022, divulgado na segunda-feira (04/04). As usinas eólicas já respondem por 11% da matriz energética brasileira. O documento registra que atualmente a energia eólica é a segunda maior fonte de geração de energia do Brasil, atrás apenas da hidráulica.

O relatório do Global Wind Energy Council destaca que o Brasil teve um crescimento virtuoso na última década, saltando de 1 GW de potência instalada em 2011 para 21 GW em janeiro de 2022. Segundo o relatório, em 2021, o País bateu recorde de expansão da capacidade instalada de energia elétrica a partir de fonte eólica, tendo o terceiro maior crescimento mundial, atrás apenas da China e dos Estados Unidos.

No País, existem 1187 empreendimentos (812 em operação e 375 ainda por construir ou em fase de construção) que totalizam quase 35 GW de potência outorgada. Ou seja, além de 21,5 GW instalados, há mais 13 GW para somarem ao sistema. Diante disso, destaca-se o protagonismo do Nordeste, com mais de 1000 empreendimentos e responsável por mais de 30 GW da potência outorgada.

Em 2020 o Nordeste passou, pela primeira vez, de região importadora para exportadora líquida de energia elétrica e aumentou sua participação na Oferta Interna de Energia Elétrica (OIEE) de 8,8% para 10,7%.




A energia eólica é uma fonte renovável e tem baixo impacto ambiental e baixos teores de emissões de gases de efeito estufa. Em novembro de 2021, o Brasil bateu recorde de expansão da capacidade instalada de energia elétrica a partir de fonte eólica ao chegar a 3.051,29 megawatts, de acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

E a perspectiva é de mais expansão para o setor. Os dados da Aneel mostram que atualmente há cerca de 5,5 GW de usinas eólicas em construção no País. E a estimativa é que 2,95 GW entrarão em operação ao longo de 2022, o que representa valor equivalente a 2021.

Acesse o Global Wind Report 2022

Fonte: Ministério de Minas e Energia

Compartilhe: