Chesf reduz a vazão na Represa de Sobradinho


Medida visa garantir o uso múltiplo das águas

A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) anunciou que em virtude da diminuição das vazões afluentes (água que entra no reservatório) em Sobradinho, e da necessidade de manutenção do volume de espera no reservatório de Itaparica, que a defluência média diária, vazão de saída em Sobradinho, passa, a partir 04/04, dos atuais 3.000 metros cúbicos por segundo (m³/s) para 1.500 m³/s.

A redução de 500 m³/s por dia. Nesta segunda-feira, 04/04, já foi reduzida para 2.500 m³/s, na terça será 2.000 m³/s e na quarta-feira, 06/04, chegará a 1.500 m²/s.

Esta medida foi tomada mesmo o reservatório tendo atingido o seu nível máximo na última quinta-feira, 01/04, conforme informamos aqui.

O controle das vazões na Bacia do Velho Chico visa assegurar a manutenção dos reservatórios num patamar de segurança hídrica para o período seco, que seguirá de maio a novembro. “Com os reservatórios cheios, teremos a tranquilidade da geração e do abastecimento humano para usos múltiplos”, explicou João Henrique Franklin, diretor de Operação da Companhia.

Usina Hidrelétrica de Sobradinho, Bahia.

A situação hidrológica no Rio São Francisco é permanentemente monitorada pela Chesf, que pode alterar a vazão de acordo com a evolução nos índices pluviométricos ou com a necessidade de geração, conforme sejam as necessidades de geração de energia apresentadas pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).




Na hidrelétrica de Xingó, que está abaixo da barragem de Sobradinho, serão praticadas vazões médias diárias em torno de 1.800 m³/s nos dias úteis, e 1.500 m³/s em finais de semana e feriados.

Estas vazões se mantêm até nova avaliação, podendo ser alteradas em função da evolução das chuvas e vazões na Bacia do São Francisco e/ou em caso de atendimento às necessidades de geração para suprimento energético do Sistema Interligado Nacional (SIN), apresentadas pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

 

Com informações da Chesf.

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Compartilhe: