Justiça nega pedido da Eletrobras para abrir comportas da Hidrelétrica de Balbina


As chuvas excepcionais na bacia do Rio Uatumã fez com que a Eletrobras programasse para o dia 7 de abril mês a abertura das comportas.

A justiça do Amazonas negou um pedido da Eletrobras para abrir as comportas da Hidrelétrica de Balbina, em Presidente Figueiredo (AM), após a Prefeitura do município alegar que o procedimento poderia causar danos às famílias que moram próximas ao local e ao meio ambiente. A decisão tem caráter liminar.

Segundo a Eletrobras, as chuvas intensas que estão caindo na Região impactaram o nível do reservatório. Por isso, no dia 14 de março, a empresa chegou a abrir 90 centímetros das comportas para dar vazão ao excedente de água acumulada. Mas, a permanência de chuvas excepcionais na bacia do Rio Uatumã fez com que a Eletrobras programasse para o dia 7 deste mês uma maior abertura das comportas.

O nível do reservatório de Balbina está em 50,74 metros.

O nível da água no reservatório está em 50,74 metros.

Em nota, a Eletrobras disse que para reverter a decisão dessa liminar, a empresa está adotando ações judiciais, visando possibilitar a realização das manobras no vertedouro da usina para liberação de água da barragem de forma gradual e observando as questões socioambientais.

A Eletronorte divulgou a seguinte nota:




Nota à Comunidade – Hidrelétrica Balbina

A Eletronorte informa que, considerando as chuvas intensas que têm ocorrido em toda Região Norte, impactando os níveis dos reservatórios dessa região, foi necessária a abertura, no dia 14/03/2022, do vertedouro da Usina Hidrelétrica de Balbina, liberando o excedente de água acumulada no seu reservatório.

No presente momento, em decorrência da permanência dessas chuvas excepcionais na bacia do Rio Uatumã, faz-se necessário aumentar o volume da água liberada pelo vertedouro, operação essa prevista para o último dia 07/04/2022. Entretanto, em função de uma liminar judicial emitida no dia 06/04/2022, a Empresa foi impedida de realizar o procedimento conforme previsto. Para reverter a decisão dessa liminar, a empresa está adotando ações judiciais, visando possibilitar a realização das manobras no vertedouro da usina para liberação de água da barragem de forma gradual e observando as questões socioambientais.

A Eletronorte informa também que suas equipes estão monitorando os níveis da água e medidas de prevenção estão sendo adotadas para garantir o apoio necessário e a segurança para a comunidade.

Agência Eletronorte

Com informações do G1 e Eletronorte

Foto: Eletronorte.

Compartilhe: