O Rio Grande

Poucas pessoas já ouviram falar no Alto do Mirantão. Esta poderia ser mais uma das tantas montanhas de Minas e que talvez só despertasse interesse a ecologistas e aventureiros não fosse por seu filho ilustre que nasce em uma de suas encostas. Localizada a mais de 1800 metros de altitude nos limites mineiros do Parque Nacional de Itatiaia, na vila de Santo Antônio do Rio Grande, Serra da Mantiqueira, está a nascente do Rio Grande.

Santo Antônio do Rio Grande é um distrito de Bocaina de Minas, com suas cachoeiras gigantescas é um lugar pacato, de gente simples que conversa nas portas das casas. Dali começa a longa viagem das águas do Rio Grande para servir a milhões de pessoas com abastecimento de água, energia, peixes, lazer, etc.

Cachoeira do Paiol – 180 m de altura – Santo Antônio do Rio Grande

Até deixar o território mineiro no extremo oeste do estado o Rio Grande percorre 1.360 km. Dentro do estado de Minas Gerais possui em seu leito 12 reservatórios: Camargos, Itutinga, Funil, Furnas, Peixoto, Estreito, Jaguara, Igarapava, Volta Grande, Porto Colômbia, Marimbondo e Água Vermelha.

Estes reservatórios compõe um sistema de armazenamento de águas com as maiores altitudes no Brasil em relação ao nível do mar, sendo de extrema importância a preservação de seus níveis para garantir o abastecimento das populações abaixo do seu curso nos períodos de escassez hídrica.

Em Fátima do Pontal, distrito do município de Carneirinho, MG, o Rio Grande se une ao Rio Paranaíba formando o Rio Paraná. Este ponto é a divisa natural de três estados: Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso do Sul. O Rio Grande só mantém este nome dentro do estado, ou seja, enquanto pelo menos uma de suas margens toca o estado de Minas Gerais.

Fátima do Pontal, distrito de Carneirinho – MG

Agora como Rio Paraná suas águas encontram com as dos Rios Tietê, Paranapanema e Iguaçu. Neste trecho existem mais quatro reservatórios: Jupiá, Ilha Solteira, Porto Primavera e Itaipu. O encontro com o Rio Iguaçu acontece logo abaixo da Represa de Itaipu, em Foz do Iguaçu, e a partir deste ponto que divide o Brasil, Argentina e Paraguai as águas deixam o Brasil e seguem dividindo a Argentina e o Paraguai.

Mais à frente encontrando o Rio Paraguai, o Paraná passa a correr dentro do território argentino e na região de Buenos Aires se junta ao Rio Uruguai para formar o Rio da Prata.

Na parte final dividindo o Uruguai e Argentina, após percorrer mais de 6.200 km, passar pelos estados de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná, servir ao Brasil, Paraguai, Argentina e Uruguai, abastecer cidades, receber esgotos domésticos e industriais, se juntado às águas de tantos outros lugares, as águas geladas e limpas nascidas em em Bocaina de Minas no distrito de Santo Antônio do Rio Grande, finalmente terminam seu curso no Oceano Atlântico com o nome de Rio da Prata.

 

 

Santo Antônio do Rio Grande, berço do Rio Grande, é um lugar que merece ser conhecido. Saiba como chegar, onde ficar e o que fazer lá:

Santo Antônio do Rio Grande – Bocaina de Minas

 

Compartilhe: