Você sabia…

Que tecnicamente o lago da Usina de Itaipu não é uma represa?

Barragem da hidrelétrica de Itaipu
Compartilhe:
  • Para funcionar, as usinas hidrelétricas tradicionais necessitam de um volume de água passando pela turbina e para isso são construídas barragens que represam as águas dos rios e formam um grande lago. Estas usinas possuem um reservatório de acumulação que estoca água para manter a usina funcionando mesmo em períodos de menor volume de chuvas.
  • Estes reservatórios de acumulação servem como reguladores da vazão dos rios, retendo água no período de chuvas, evitando enchentes, e no período de estiagem liberam a água estocada, evitando que o rio fique com nível muito baixo e prejudique as populações ribeirinhas.
  • Normalmente estas usinas são capazes de funcionar mesmo havendo uma grande variação do nível de seus reservatórios. Exemplo de usinas com reservatório de acumulação são Furnas, Sobradinho, Três Marias, Ilha Solteira e tantas outras.
  • O inconveniente deste tipo de usina é que normalmente os reservatórios ocupam uma área muito grande, gerando impactos ambientais e sociais com desapropriação de áreas produtivas e forçando a mudança de lugar da população.
  • Para minimizar estes impactos foram criadas as usinas a fio d’água que funcionam com a força da correnteza dos rios, não necessitando estocar grandes volumes de água.
  • Normalmente estas usinas possuem um reservatório relativamente pequeno, que ocupa as áreas mais baixas das margens e estão localizadas abaixo de outras usinas com reservatório de acumulação que controlam o fluxo da água.
  • Os reservatórios das usinas a fio d’água apresentam pequenas variações do nível, uma vez que toda a água que chega é usada gerando energia ou é escoada pelo vertedouro. Exemplos de usinas a fio d’água: Itaipu, Belo Monte, Mascarenhas e outras.
  • A usina de Itaipu, por exemplo, funciona com uma variação muito pequena, sua cota mínima é 219 m acima do nível do mar e a máxima 220,3 m.

Foto: Barragem da Usina de Itaipu – Fonte: Itaipu Binacional

Publicado em

Você sabia…


Represas mais visitadas na semana

Represa de Furnas hoje

Medição mais recente realizada na barragem da represa
Nível atual Medido em Variação em 24h
763.23 25/07/2024 -3
m às 09:00h cm

Nível nas últimas 24 horas

Medições realizadas nas últimas 24h na barragem da Represa de Furnas



Veja mais informações na página de Furnas


Represa de Jaguara em 24/07/2024

 
Nível Volume Afluência Defluência
557,80 0,00 572,00 572,00
m % m³/s m³/s
Dados da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico
Variação do nível
1 dia 7 dias 15 dias 30 dias
0 9 37 4
cm cm cm cm

Veja mais informações na página da Represa de Jaguara


Represa de Peixoto hoje

Medição mais recente realizada na barragem da represa
Nível atual Medido em Variação em 24h
663.38 25/07/2024 -3
m às 08:00h cm

Nível nas últimas 24 horas

Medições realizadas nas últimas 24h na barragem da Represa de Peixoto



Veja mais informações na página da Represa de Peixoto


Represa de Itumbiara hoje

Medição mais recente realizada na barragem da represa
Nível atual Medido em Variação em 24h
513.87 25/07/2024 -4
m às 09:00h cm

Nível nas últimas 24 horas

Medições realizadas nas últimas 24h na barragem da Represa de Itumbiara



Veja mais informações na página da Represa de Itumbiara


Açude Trairi em 08/07/2024

Nível Volume Volume
80,46 34,99 99,32
m hm³ %
Variação do volume
1 dia 7 dias 15 dias 32 dias
0 0.34 0.68 1.02
% % % %



Veja mais informações na página do Açude Trairi


Açude Tabatinga em 08/07/2024

Nível Volume Volume
47,13 62,01 69,02
m hm³ %
Variação do volume
1 dia 7 dias 21 dias 34 dias
0.59 0.30 17.34 24.47
% % % %



Veja mais informações na página do Açude Tabatinga


Açude Araras em 24/07/2024

Nível Volume Volume
152,76 835,26 93,74
m hm³ %
Variação do volume
1 dia 7 dias 15 dias 30 dias
-0.23 -0.91 -1.71 -2.73
% % % %



Veja mais informações na página do Açude Araras


Últimas atualizações

Represa do Passo Real

Represa de Passo Fundo

Represa Corumbá III

Represa de Balbina

Represa de Pedra do Cavalo